Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Em destaque > CTIC orienta sobre cuidados com a segurança de eventos e atividades virtuais
Início do conteúdo da página

CTIC orienta sobre cuidados com a segurança de eventos e atividades virtuais

Publicado: Sexta, 19 de Março de 2021, 12h20

Com a pandemia de Covid-19 e o isolamento social como medida de proteção, tornou-se inviável realizar atividades acadêmicas presencialmente com segurança. Desde então, aulas remotas, atividades on-line e eventos virtuais se tornaram práticas comuns para dar sequência às ações de divulgação científica e ao aprendizado. No entanto episódios de ciberataques promovidos por pessoas má-intencionadas a eventos e a aulas virtuais realizadas por instituições de ensino e pesquisa têm se tornado frequentes, o que evidencia a necessidade de reforçar medidas de segurança para que casos como esses sejam evitados. 

Nos últimos meses, vários encontros acadêmicos virtuais foram encerrados após ciberataques que tornaram impossível qualquer comunicação entre as pessoas que estavam participando da atividade. Muitos desses ataques ocorrem por meio do uso de mensagens ofensivas no chat da sala virtual, discursos de ódio, áudios inconvenientes e conteúdo sensível, além de afirmações preconceituosas, desqualificadoras e falas impróprias de cunho político e ideológico. Os casos informados à Administração Superior da UFPA estão sendo encaminhados para apuração pelos setores competentes.

Segundo o diretor do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC/UFPA), Marco Aurélio Capella, para evitar esse tipo de acontecimento e garantir a manutenção da integridade e a segurança das atividades virtuais, é importante que os organizadores se atentem às configurações disponíveis nas plataformas mais utilizadas na promoção de encontros virtuais. 

“São disponibilizadas ferramentas como a opção de desativar o microfone de todos os integrantes da sala virtual, a adição de pessoas somente por meio de autorização do organizador (host) do evento e impedimento da reentrada de pessoas que, eventualmente, estejam tumultuando. Para manter uma boa qualidade e segurança das atividades, o ideal é que o organizador fique de fora da discussão principal e atue apenas como um gestor do fluxo de entrada e saída de participantes e da fala dos convidados na sala virtual”, recomenda.

Outras medidas consideradas eficazes contra ciberataques envolvem o controle de entrada e verificação das inscrições das pessoas que solicitarem participação em eventos, opções de desativar chat e compartilhamento de tela, além de jamais divulgar em redes sociais o link de acesso, pois tal prática torna mais fácil a entrada de pessoas mal-intencionadas nas salas de aula virtuais e nos eventos remotos. O acesso deve ser fornecido a pessoas inscritas ou a grupos direcionados de interessados.

Uma importante dica dada por Marco Aurélio Capella é que, em casos de eventos abertos ao público, os organizadores optem por transmitir as discussões e os debates em plataformas de streaming, como YouTube e Twitch, ou nas redes sociais, como Facebook e Instagram, de modo a limitar o acesso à sala virtual somente a palestrantes ou a convidados. Assim se garante o amplo acesso do evento ao público por meio de plataformas de transmissão e protege-se a sala virtual promotora do debate. A limitar o acesso à sala virtual apenas aos convidados e aos palestrantes, o gerenciamento se torna mais acessível. 

No caso de eventos internos, ele recomenda, ainda, que tanto professores como estudantes da Universidade usem suas contas de e-mail institucional, pois, assim, em uma necessidade, o CTIC pode rastrear  mais facilmente o usuário considerado uma ameaça à segurança da atividade on-line. 

Ao optar pelo uso da conta institucional, é importante que o usuário não compartilhe dados e senha com terceiros, utilize uma senha forte, que mescle letras, números e caracteres especiais, e não responda a links suspeitos enviados por e-mails. 

Ferramentas utilizadas na UFPA - A Universidade Federal do Pará disponibiliza para o uso da comunidade acadêmica em geral as ferramentas do Google Workspace (antigo G Suite) e do Microsoft 365 for Education, com materiais e tutoriais com orientações para que os usuários possam criar contas e utilizar todas as opções disponíveis em cada uma delas, além de recomendar o uso da plataforma de webconferência da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), do Google Meet e do Microsoft Teams, para realizar atividades, eventos e encontros virtuais, sem esquecer as medidas extras de segurança citadas anteriormente.

Texto: Adams Mercês - Assessoria de Comunicação da UFPA
Imagem: Reprodução Pixabay

registrado em:
Fim do conteúdo da página